Cinco coisas (menos óbvias) para se fazer em Lisboa

Ok, está visitando Lisboa e tem mesmo de conhecer a Torre de Belém, o Mosteiro dos Jerônimos e o Castelo de São Jorge, só para citar três dos monumentos mais visitados da cidade. Mas e que tal, se sobrar um tempinho na agenda, conhecer alguns lugares não tão óbvios e se surpreender?

Desde banheiros públicos (isso mesmo, um banheiro público diferente), até uma igreja incendiada e um Palácio da bebida lisboeta, a Ginja? Há muitas surpresas te esperando em Lisboa e eu apresento cinco das que não pode perder quando conhecer a capital de Portugal.

Igreja de São Domingos

Construída em 1241, mas danificada nos terremotos de 1531 e 1755 a igreja está mesmo ao lado do Rossio, na rua Don Antão de Almada. O fato que surpreende é que a construção, em estilos maneirista e barroco, sofreu um grande incêndio no ano de 1959 e ficou por várias décadas fechada.

Em 1994, com o teto recuperado e as paredes parcialmente pintadas, a igreja foi reaberta com as marcas do incêndio bem visíveis. Na verdade foi proposital deixar as marcas do fogo para que o fato ficasse presente na memória dos lisboetas e dos visitantes que se sentem impactados com tamanha beleza.

O altar da Igreja de São Domingos

Reservatório da Patriarcal

Talvez já tenha ouvido falar que há muitas galerias subterrâneas em Lisboa. Desde as romanas, que serão abertas ao público diariamente a partir de 2020, até às dos aquedutos tal como esta, localizada por baixo do jardim do Príncipe Real.

Construído entre 1860 e 1864 para servir a rede de distribuição de água da cidade de Lisboa, tem um reservatório protegido por 31 pilares e um teto abobadado. Está desativado desde os anos 40 e pode ser visitado através do Museu da Água. Um lugar impressionante, que vale muito a visita!

O reservatório do Patriarcal

Igreja de São Roque

Muita gente passa por ela, mas perde a grande oportunidade de a conhecer. Ela está localizada ao lado do ascensor da Glória e junto ao Miradouro de São Pedro de Alcantâra e junto ao Bairro Alto. Pena de quem não a visita, pois a belíssima Igreja de São Roque está no top das atracções do guia Lonely Planet – que elogia o seu “dazzling interior” – e é um ponto de parada obrigatório para crentes e não crentes.

Coloque no seu roteiro e se surpreenda com um dos templos mais ricamente decorados da cidade. Se gosta de relicários há, ainda, uma bela coleção de pedaços de santos. E o museu é uma visita obrigatória para quem gosta de arte sacra.

A imponente Igreja São Roque

Banheiro Público

Quem diria que um banheiro público seria motivo de visita numa cidade com tantas atrações, não é mesmo? Mas é! Há pouco mais de um ano os leitores do jornal britânico The Guardian elegeram o banheiro no Terreiro do Paço como um dos lugares para não se perder em Lisboa.

Este banheiro é diferente, parecendo até mesmo uma instalação de arte, como disse uma das leitoras do The Guardian que visitou o local. O diferencial do lugar está nas cores do papel higiênico e no tom em preto das paredes. Por 0,50€ você escolhe até a cor do papel.

Praça do Comércio, 84, Ala Nascente

O banheiro do Terreiro do Paço

Palácio da Ginja

A ginja, chamada carinhosamente de ginjinha, é uma das bebidas que associamos imediatamente quando falamos de Portugal. Assim como o famoso vinho do porto, a Ginja é uma das bebidas ícones do país. Deliciosa, a experiência fica ainda melhor quando a experimentamos em um cenário condizente com a nobreza da bebida, não é?

É justamente a mescla entre a qualidade da bebida e a importância do ambiente que você encontra no Palácio da Ginja Portuguesa, uma loja aberta no coração da Baixa lisboeta e que reproduz uma das salas do Palácio Nacional de Queluz. Tem até trono para você se sentir um rei ou rainha e fazer aquela foto bebendo a ginja. Você pode até fazer um workshop da produção da bebida e levar a sua para casa!

O Palácio da Ginja

E então, que tal colocar no seu roteiro esses lugares diferentes e que a gente indica para você conhecer em Lisboa?