Conhecendo o Algarve: o Barlavento (parte II)

Assim que deixamos Portimão e atravessamos o Rio Arade encontramos uma povoação totalmente diferente e que ainda não foi “invadida” pelo turismo de massa, tal como em outras localidades. Ferragudo é uma dessas vilas de pescadores que conserva um espírito mais autêntico do verdadeiro Algarve e embora o centro esteja cheio de restaurantes e bares não tem grandes construções, nem hotéis de grande porte. Tanto a Praia da Angrinha como a Praia Grande são ideais para as crianças porque estas duas praias ainda se encontram na foz do rio Arade e com a construção do pontão, onde está o farol de Portimão, ficam quase encaixadas na paisagem, sem grandes ondulações.

Em Ferragudo destaco algumas ruas pitorescas com casinhas brancas e as típicas chaminés rendilhadas no alto da vila, mas os dois pontos de destaque são a Igreja de Nossa Senhora da Conceição e o seu adro de onde se consegue avistar o mar, o rio Arade e a marina de Portimão; e o Forte de São João do Arade que era uma defesa do estuário do rio Arade, cujo início da construção do século XV sofreu sucessivamente alterações nos séculos XVII e XVIII e é hoje uma propriedade privada.

Entre Ferragudo e Albufeira a costa é extremamente recortada apenas desvendando, de vez em quando, praias que ficam nas inúmeras enseadas que o mar por ali desenhou. Há muitas praias nesta zona, mas as mais mais conhecidas são a do Carvoeiro, Benagil, Marinha, Nossa Senhora da Rocha e Armação de Pera, esta última mais conhecida por ser uma cidade maior, que propriamente pela praia em si. Nesta faixa a Estrada Nacional 125, que já venho falando ao longo dos últimos artigos, está mais longe da costa e é impossível viajar junto ao mar. Mesmo assim entre Ferragudo e Carvoeiro, pelo meio de centenas de moradias com piscina que existem na zona, conseguimos percorrer por estradinhas que nos levam a Carvoeiro, uma vila muito conhecida e popular entre os veraneantes, quer nacionais, quer estrangeiros. Ela fica no fundo de duas ravinas, quase num vale, onde tudo fica meio apertado, mas no final surge a praia que compensa pela sua beleza. Fica encravada entre duas colinas, logo mais abrigada do vento e com uma ondulação menos forte, sendo também muito dada a desportos aquáticos. Carvoeiro é uma antiga vila piscatória que merece uma visita certamente, mas vou já apanhar a estrada N124-1 em direção a Lagoa para poder continuar caminho.

Praia do Carvoeiro

Em Lagoa queremos apanhar novamente a N125. Ali bem perto está o Slide & Spash – um parque aquático, caso seja a sua onda é interessante – senão continuamos e 8Km depois, em Alcantarilha, temos um outro parque aquático chamado Aqualand Algarve. Mas é neste troço de 8km que temos praias belíssimas, resorts de luxo e muitas moradias que pintam a paisagem. O acesso às praias é um pouco restrito porque temos uma estrada que chega à costa, mas para prosseguir viagem temos quase sempre que retornar à 125. E é precisamente aqui na costa que surge uma cidade maior – Armação de Pera – que do ponto de vista arquitetónico não desperta grande interesse, sendo mais um emaranho de prédios, mas que tem uma praia extensa e muito popular.

Mapa da zona de Lagoa, Crédito: Google Maps

O trecho seguinte entre Quarteira e Albufeira é muito serpenteado com moradias, hotéis e alguns resorts de luxo estrelados. A costa é bastante recortada aqui e algumas praias são quase exclusivas dos hotéis por terem um acesso muito difícil (embora na prática não haja praias privativas em Portugal, logo são públicas).

Albufeira: a capital da diversão

Na Guia, desviamos para a estrada M526 e entramos na cidade de Albufeira pela marina. É uma cidade já com alguma dimensão, embora tenha começado por ser uma vila piscatória de casas brancas que se debruçam sobre uma encosta e culminam na Praia dos Pescadores, a principal e mais conhecida praia de Albufeira. Muito frequentada por ingleses (que nunca acertam na pronúncia correta do nome albufeira!) a cidade é um dos destinos turísticos mais populares e o maior resort em Portugal. A área administrativa do conselho de Albufeira é extensa e vai desde a Praia dos Salgados até à zona oeste de Vilamoura, toda ela com muitos hotéis junto à costa que fervilham no Verão com turistas sobretudo do norte da Europa.

A história de Albufeira vem desde os tempos dos Romanos há 2000 anos, passando pelos Árabes que lhe chamaram Al-Buhar (o castelo no mar), altura em que se tornou numa cidade com ligações ao comércio do norte de África. No século XIII foi tomada pelos Cavaleiros de Santiago, foi incendiada em 1833 durante as Guerras Liberais até ver a sua queda como cidade mercantil e se ter tornado numa vila piscatória. A cidade em si não tem muito para ver, mas é no centro que se encontram as ruas pedonais e onde existe todo o frenesim de restaurantes, bares e vida noturna.

O litoral de Albufeira é muito dado a desportos aquáticos, da vela ao ski aquático, passando pelo windsurf e ao mergulho. Em terra também abundam os campos de golfe, que são aliás, um dos cartões de visita do Algarve, sobretudo quando o tempo já não está tão bom para fazer praia, mas suficientemente bom para fazer um birdie. As praias mais conhecidas da zona são a Praia da Oura, Santa Eulália, Maria Luísa, Olhos de Água e Praia da Falésia, que se estende praticamente até Vilamoura. Ainda no concelho de Albufeira, mas mais no interior, na estrada 125, destacam-se o Zoomarine muito popular entre nacionais e estrangeiros que é um parque temático que mistura diversas atrações desde espaços de diversão aquática a apresentações com golfinhos e aves. O preço é elevado por isso conte com o dia todo, mas se comprar o bilhete online tem 10% de desconto. Logo ao lado tem um outro ponto de interesse para quem gosta de compras com o Algarve Shopping. Durante muito tempo o Algarve esteve arredado de grandes superfícies comerciais e mesmo agora só se destacam duas ou três, mas se está na zona e quer fazer algumas compras em lojas internacionais então é uma boa oportunidade para passear por aqui.

Leia aqui o artigo para conhecer o Algarve. Neste outro artigo você vai conhecer a parte mais selvagem do Algarve, a Costa Vicentina. E aqui a primeira parte do Barlavento.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui