Igreja mais bonita de Portugal é quase desconhecida

Portugal é um país religioso, com igrejas, mosteiros e conventos espalhados por todos os lados. Algumas destas construções destinadas à utilização religiosas são tão remotas que muita gente nem sabe que elas existem. É quase o caso de uma das igrejas mais bonitas do país, que não é assim tão remota, mas está longe de ser uma atração turística. Eu falo da Igreja de Válega, localizada na região de Aveiro, em Ovar, uma verdadeira obra-prima da arte da pintura do azulejo e sem sombra de dúvida uma das mais impressionantes igrejas em Portugal!

Estamos acostumados à ver azulejos brancos com pinturas em azul, verde ou amarelo na sua maioria, mas a Igreja de Válega é bem diferente: são verdadeiros quadros pintados nos azulejos, por fora e por dentro do templo. Mas vamos falar um pouco sobre a história. O padroado da igreja de Válega pertenceu até 1150 a particulares. Desde essa data e até 1288 pertenceu ao Mosteiro de São Pedro de Ferreira. Em 1583 passou a pertencer ao bispo e ao cabido da Sé do Porto. Não existem vestígios da igreja secular e as obras para a construção da atual edificação começaram em 1746 e duraram mais de 100 anos.

No ano de 1942 foi instalado o painel de azulejos figurando a Senhora do Amparo, no topo externo da capela-mor, assinados pelo atelier de Jorge Colaço e executados pela Fábrica Lusitânia, em Lisboa.

Mas as inovações não pararam por aí: entre 1959 e 1960 teve lugar a campanha patrocinada por Antônio Maria Augusto da Silva, comendador da Ordem de Benemerência, que compreendeu o revestimento por placas de mármore das paredes interiores da capela-mor, do sub-coro e dos lambris gerais, o revestimento na fachada principal nas paredes interiores da nave e na parte superior do arco triunfal, com azulejos polícromos figurados da Fábrica Aleluia, de Aveiro, e os vitrais das janelas assinados por S. Cuadrado, de Madrid.

Finalmente, em 1975 teve lugar o revestimento dos alçados laterais e posterior com azulejos da Fábrica Aleluia, desenhados pelo arquiteto Januário Godinho.

Trata-se, para mim, de uma das igrejas mais bonitas de Portugal. O país é conhecido pelos seus azulejos, mas confesso que me surpreendi quando cheguei em Válega, pela imponência do edifício e por serem quase como quadros pintados nas partes externas e também (para surpresa ainda maior quando entrei) na interna. Ela fica distante de Lisboa quase 240 km, mas vale muito a pena, quando, por exemplo, for ao Porto ou Aveiro, coloque Ovar no roteiro e conheça esta impressionante igreja.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui